h1

Seria

novembro 22, 2010

mais feliz se não filosofasse tanto sobre as coisas simples da vida e as frases que Ele me diz tipo: – ‘Eu amo Você’, ‘tenho felicidades pra sua vida’, ou a melhor de todas e a mais difícil “Apenas confie em mim”!

 

Anúncios
h1

Elas

novembro 22, 2010

Em noites semi-frias eu gosto de pensar num inverno rigoroso que nunca enfrentei

Elas que nem são minhas me trazem ao aconchego da lembrança do calor da lareira quando vivia num mundo de geadas…

h1

A escova de cabelo – (The hair brush)

novembro 22, 2010

 

Porque eu achei engraçado e lindo!

Apresentando: The hair brush, by Beth Moore

h1

Já quase

novembro 22, 2010

Não apareço mais aqui, não que não sinta saudade

Não tenho tempo por enquanto mas voltarei em breve

E pretendo voltar com todas as forças nesse universo meu vazio insano cheio de milhões de pessoas chamado internet!

 

Coming Soon

h1

Pensando … Haiti.:.Amor

novembro 4, 2010

Estava hoje pensando sobre o Haiti pensando, e pensando com o coração apertado.

Uma batalha feroz interior, entre os meus conflitos estúpidos – e a razão pelo qual Ele me chamou.

Uma luta entre gratidão – e olhar para um pequeno umbigo insignificante.

A luta entre a dor dos outros – e as pequenas marcas, quase imperceptíveis que carrego.

Entre a agonia da impotência, olhando dos bastidores, desastre após desastre atingir aquela nação – e as leves e momentâneas aflições que quase tiram a minha paz.

Terremoto devastador em janeiro desse ano, cólera, e agora um furacão, sem contar a fome, a falta de água potável, de roupas, de dignidade.

É o céu azul que mistura-se com as tendas da mesma cor.

E eu aqui, pensando, na falta de 0,30 centavos para comprar um galão de água.

Porque Deus? Porque? Somos assim tão intransigentes, pedintes por natureza?

Mendigamos amor, mas não nos esforçamos para dar.

Sabemos o caminho de nossas angústias e depressões e não sabemos curar a dos outros.

Nos sentimos injustiçados por coisas tão banais com tanta injustiça de verdade lá fora.

Nos sentimos tão órfãos, sem pais, mães, quando temos a paternidade e os peitos que os verdadeiros órfãos precisam.

Ficamos indignados por nada, enquanto a falta de dignidade segue roubando direitos em frente aos nossos olhos.

Temos tetos, eles tem tendas, eles não tem

Temos canos, eles sem água

Temos comida, eles “as vezes” tem

Temos voz, eles “muitas vezes” são mudos

Temos reclamações, eles tem ESPERANÇA

E hoje Deus, segue um pacote:

de pedido de perdão

gratidão

obediência

de vontade

desejo

de aprender a AMAR MAIS

DAR MAIS

LUTAR MAIS … pelo outro

MENOS…
por mim.

Nádia

h1

A VERDADEIRA REDOMA

novembro 3, 2010

As vezes as pessoas pensam que viver em missões, ou dentro do contexto cristão, é seguro e uma redoma intocável e fácil de se viver.

Acham que os missionários não vivem “lá fora” por isso continuam firmes em sua caminhada de fé em Deus

Perdão por desapontar, mas lendo a Bíblia eu descobri que é uma das coisas mais difíceis de se viver.

 

A maior redoma é a da nossa mente, nossa cosmovisão em relação ao mundo. Posso estar lá fora e não fazer diferença nenhuma porque em minha redoma acho que sempre estou certo e não estou aberto a mudanças.

O mais difícil é nadar contra a correnteza, cansar os braços de tanto lutar.

 

É difícil ser o cristão que defenda a verdade, é estar aberto para ser rejeitado pelos de “dentro” e pelos “de fora.”

E volto a minha pergunta: – Quais são os limites “dentro e fora”?

O que é dentro? o que é fora?

 

Penso no profeta Jeremias

Em 50 anos de ministério, defendendo a verdade e pregando o arrependimento, ele nunca foi ouvido, NUNCA foi ouvido. Os falsos profetas de dentro e de fora pregaram aquilo que as pessoas queriam ouvir.

E não é mais fácil viver e pregar ou defender aquilo que as pessoas querem ouvir?

As pessoas planejaram o seu mal. Ele foi traído pelos amigos, zombado, desprezado, não tinha com quem contar “dentro e fora”. Enviado para a prisão, proibido de entrar na casa do Senhor, acusado, apanhou várias vezes, obrigado a ir para o Egito, depois exilado na Babilônia.

Fez isso voluntariamente, e, provavelmente se vivesse nos dias de hoje, não teria sustento, porque de acordo com a visão dos de “dentro” ele não teve sucesso em números, como resultado de suas pregações.

De acordo com os “de fora” ele era considerado louco, ridículo, religioso, fanático, etc.

 

Pagou um preço caríssimo pelas escolhas que fez, em ser um profeta para uma nação considerada do Senhor que rejeitava o Senhor.

Me pergunto se realmente era fácil viver na “redoma” de suas escolhas.

 

Ele chorava por um povo que nunca se arrependeu, que o ofendia publicamente, que o ridicularizava por acharam que as palavras de verdade trazidas por ele, vindas de Deus, eram mentiras.

Mas o que eu mais amo em Jeremias, é que apesar de tudo, ele amou tanto a Deus e o obedeceu em TUDO o que Ele mandou.

Não, não foi fácil, porém ele nunca negociou seus valores mesmo quando pensasse em desistir. Era um homem aberto à mudanças, disposto a ser moldado por Deus.

Não se sentia o dono da verdade, mas falava a verdade porque Deus estava nele e com ele.

Era honesto em suas dores e lutas, nunca escondeu suas depressões e fraquezas, mas lutou para defender o amor de Deus pelas pessoas.

 

Agora, me diz, o que é realmente mais difícil?

Seguir o fluxo, sem buscar em Deus o sentido, a verdade e o contexto da verdadeira luta? Ou julgar os outros, ridicularizar, porque eles estão tentando viver a verdade?

 

Repito: A maior redoma é a da nossa mente, e será sempre cega se não tiver a verdade como farol para guiar o caminho.

O caminho a verdade e a vida, quebram as barreiras de qualquer redoma.

E quem disse que seria fácil? Todas as pessoas que Deus chamou nas histórias da Bíblia, e que decidiram obedecer, pagaram um preço caríssimo pela obediência e foram desprezados dentro e fora.

 

Será que realmente estamos dispostos a pagar o preço? Será que realmente estamos pagando um preço?

Porque para mim é mais fácil criticar os outros, achando-se dono da razão do que arregaçar as mangas e fazer alguma coisa no silêncio… mesmo que aos olhos do mundo isso esteja longe do conceito de “sucesso”.

Suelen Caroline

 

 

 

 

 

h1

Blog

outubro 30, 2010

por ironia estou aqui eu hoje, em um seminário de webdesign, aprendendo a fazer um blog mais decente para comunicar melhor com amigos
Em breve!